sábado, 3 de novembro de 2012

DOMINGO

  
Recebí uma intimação para depor. Fui até à delegacia no dia e hora espulado.
DELEGADO: _ Qual o seu nome completo, idade e onde mora? 
EU: _ Maria Aparecida do Carmo, 42 anos e resido à Rua das Paineiras, s/n São Paulo.
DELEGADO: _ Lembra-se o que ocorreu naquela manhã?
EU: _ Sim 
DELEGADO: _ Então conte-me em detalhes.
EU: _ Ao acordar, abrí a janela e pensei: _Que Domingo maravilhoso!. Fiz minhas necessidades matinais e      me vesti para fazer minha caminhada de costume. Ao abrir a porta me deparei com um homem caído à minha frente, "Meu Deus, levei um susto enorme" minhas pernas comessaram a bambear como se não soubesse o que fazer. Tentei me acalmar  e percebí que conhecia aquele homem de algum lugar, mesmo assim não o toquei,  fui ao telefone e liguei para o serviço de emergência.
Assim que a ambulância chegou, constatou-se o que já imaginava, ele estava morto,  foi isolado o local e ficamos  aguardando a pería. Depois que levaram o corpo não tinha mais ânimo para sair de casa. Logo que meu marido chegou lhe contei o que havia ocorrido.
DELEGADO: _ Conhecia a vítima?
EU: _ Acredito que já havia visto em algum lugar, não me lembro onde.
DELEGADO: _ E o seu marido, a que horas saiu de casa?
EU: _ Normalmente às 5hs, não sei exatamente o horário que saiu naquela manhã.
DELEGADO: _ Soube que o seu marido estava conversando com a vítimas horas antes do crime. Ele lhe contou o que conversaram? 
EU: _ Ele não me disse que conhecia a vítima., muito menos que tivesse conversado com ele.
DELEGADO: _ Sabia que a vítima morreu por envenenamento?
EU: _ Não.
DELEGADO: _ Preciso, que lembre-se de onde conhecia a vítma.
Depois de tanto me esforçar me veio a memória que aquele homem, trabalhava em um lan house.
EU: _ Ele trabalhava em lan house, próximo de onde moro.
DELEGADO: _ Vou precisar do depoimento de seu esposo, e depois terá que voltar para dar novos esclarecimentos.
EU: _Sim, Senhor.
Passaram-se alguns meses, depois de reclhido todos os depoimentos, feixou-se o inquérito. A vítima e sua amante jantaram no restaurante onde meu esposo gerencia. A amante por não convencer a vítima a abandonar seu lar para ficar com ela, prefiriu envenená-lo.


Autora : Sueli
Tutora : Rosangela

Um comentário:

  1. Olá , visitei o blog de vocês e está tudo Ótimo!
    Tutora Rosangela

    ResponderExcluir